TRABALHOS



ACESSE PARA ENVIAR SEU TRABALHO

Ainda não sou filiado.

Esqueci minha senha.

O ACESSO A ÁREA RESTRITA ACONTECERÁ NO MÁXIMO 48 HORAS APOS A COMPENSAÇÃO DO PAGAMENTO 
 
Prazo final para o envio de trabalhos:  15 de Outubro de 2017.
 
Normas para Elaboração dos Resumos
Os resumos dos trabalhos apresentados na SNNPQO serão publicados no periódico Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada (ISSN 1519-0501).
 
1. REGRAS GERAIS PARA SUBMISSÃO DE RESUMOS DE TRABALHOS
O SNNPQO receberá resumos de trabalhos até o dia 08/10/2017 às 23:59min (horário de Brasília). Os resumos somente poderão ser submetidos pela internet, por meio do site do evento: www.snnpqo.com.br .
Limite de resumos por participante
Cada participante poderá submeter no máximo DOIS resumos vinculados à sua inscrição. Cada trabalho poderá ter no máximo OITO autores;
Não há limite para participação em coautoria de trabalhos inscritos por outros participantes.
 
2. INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO DOS RESUMOS
Tipos de Trabalhos Aceitos: Somente serão aceitas PESQUISA;
Para ser aceito o resumo deverá conter RESULTADOS.
Apresentações Orais: exclusivas para profissionais, pós-graduandos, e Doutores.
Título
Deve ser objetivo, conciso e informativo. O campo deve ser preenchido com LETRAS EM CAIXA ALTA e conter até 90 caracteres, considerando os espaços.
Autores
Autor principal: Informar ultimo sobrenome seguido por nome e demais sobrenomes abreviado, em seguida, se houver, o(s) coautor(es), seguidos de filiação institucional e e-mail de contato do apresentador.
Resumo
O texto deve ser no formato Word, fonte Times New Roman, tamanho 12, espaço entre linhas simples, alinhamento justificado. Deve ter no mínimo 220 palavras e, no máximo, 240 palavras O resumo deverá ser estruturado e conter os tópicos: Objetivo, Método, Resultados e Conclusão. Esse campo não deve ser preenchido com letras em caixa alta.
Fonte(s) de financiamento: Crédito a órgãos financiadores da pesquisa, se pertinente.
 
MODELO:
TENDÊNCIA DA PREVALÊNCIA E GRAVIDADE DO DESGASTE DENTÁRIO EROSIVO EM PRÉ-ESCOLARES BRASILEIROS
Tello G*, Murakami C, Oliveira LB, Abanto J, Bonini GC, Bönecker M.
Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo – FOUSP
tellog@hotmail.com
 
Objetivos: Avaliar a tendência da prevalência e gravidade do Desgaste dentário erosivo (DDEr) em pré-escolares brasileiros. Métodos: Três estudos transversais com amostras representativas da população foram realizados com a mesma metodologia nos anos de 2008, 2010 e 2012 na cidade de Diadema, SP. Um total de 2801 crianças de ambos os gêneros de 3 e 4 anos de idade, foram selecionadas sistematicamente durante as Campanhas Nacionais de Vacinação Infantil. Cirurgiões Dentistas treinados e calibrados realizaram os exames clínicos para diagnosticar DDEr usando o índice O'Brien modificado. Análises comparativas da prevalência e gravidade de DDEr foram realizadas pelo teste de Qui-quadrado para Tendência. Resultados: A prevalência de DDEr foi de 51,6% (IC 95%; 48,4 - 55,0) em 2008, 53,9% (IC 95%; 50,7 - 57,0) em 2010 e 51,3% (IC 95%: 47,8 - 54,7) em 2012. Não houve associação significativa entre a prevalência de DDEr entre os anos de 2008 a 2012 (X2 para tendência: p = 0,92). Não houve associação significativa na gravidade da DDEr durante este período de estudo. A maioria das lesões foram confinadas ao esmalte nos três estudos. Conclusões: Existe uma alta prevalência de DDEr na amostra de pré-escolares nos anos 2008, 2010 e 2012. Não foi observado nenhuma tendência de aumento ou diminuição da prevalência e gravidade do DDEr durante este período.
Financiamento: FAPESP (Processo: 2011/18412-8)
 

COMO CHEGAR

PARCEIROS


Pag Seguro